23/08/2015

É isto que a RTP transmite com o meu dinheiro ?

Debaixo de um calor de mais de 30º, sem vento e depois de terem permanecido mais de 12 h metidos numa divisória de metal de um camião onde mal se podem mexer, os 6 touros vão ser "lidados" na praça.

Vão ser perfurados com ferros (bandarilhas) que medem 70 cm de comprimento, enfeitadas com papel de seda de variadas cores e rematadas com um ferro de 8 cm, com um arpão de 4 cm de comprimento e 20mm de largura, com farpas ou ferros compridos e ferros curtos que medem, respectivamente, 140 cm e 80 cm de comprimento, com ferragem idêntica à da bandarilha, mas com dois arpões enfeitados e rematados da mesma forma que as bandarilhas.


Os ferros que lhe penetram e rasgam o músculo, provocarão uma dor lancinante (o touro sente até uma mosca pousar-lhe no dorso - daí abanar com a cauda para a enxotar - porque não haveria de sentir dor se é feito de carne e osso como nós?). Depois de lhe serem cravados os ferros, exaustos e debilitados, enfraquecidos, vão ainda ser atormentados por 8 homens que o vão provocar, tentar imobilizar, saltar-lhe para cima e puxar-lhe violentamente a cauda (vértebras serão partidas) e humilhá-lo.

Depois será obrigado a recolher ao camião, como alguém me dizia hoje de manhã, "puxado e arrastado tão violentamente por cordas que se fica com a sensação que lhe vão arrancar os cornos".

No camião, ser-lhe-ão arrancados os ferros, a sangue frio, cortando a carne à volta do arpão com uma faca, deixando-lhe o dorso esburacado em carne viva...
Depois da "festa rija", quando os espectadores tiverem dificuldade em manter-se em pé, o touro vai ser levado para o matadouro, no mesmo camião onde não se pode mexer, deixando atrás de si um rasto de sangue e diarreia.

Hoje é sexta-feira. Amanhã é sábado, os matadouros não trabalham. Domingo também não. Com sorte e, se não tiverem morrido até lá, os touros serão finalmente mortos na segunda-feira, depois de atordoados com choques eléctricos e pendurados de cabeça para baixo.

Terão Paz afinal. 

É ISTO QUE A RTP TRANSMITE COM O MEU DINHEIRO??  

por Pedro Martins Santos

18 comentários:

  1. Se eu não sei respeitar os outros animais, eu não sei respeitar a mim mesmo. Os outros animais tb sentem e sofrem - Têem alma

    ResponderEliminar
  2. Qualquer animal antes de ser abatido está 24 horas sem comer para esvaziar o intestino, o que é horrível para os herbívoros que estão sempre a comer!!! Quanto aos toiros bravos, têm uma longa vida no campo , cerca de 5 anos, enquanto que a vaca de leitinho e o novilho do bifinho vive amarrado a uma mangedoura, sem ver o Sol a vida toda e são abatidos cobardemente nos matadouros sem nunca terem na realidade vivido!!!!! Só queria dizer que se eu tivesse nascido toiro, preferiria ter nascido de raça brava. Subscrevo-me: Isabel, eng.ª zootécnica que já visitou matadouros!! E o senhor ?? Já visitou algum???? Para combater as toiradas, deixem de ser carnívoros!!!!!!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ò Isabelinha, não tens humanidade nem inteligência suficiente para nasceres touro nem sequer vaca. Esperava um pouco mais de articulação de uma pessoa que, supostamente, se diz engenheira. Os problemas com os seus argumentos são os seguintes:

      1) não é por passarem uma vida no campo que merecem morrer tão lentamente e em tanto sofrimento. A maneira com que a sra. põe as coisa é como se, aos touros, até lhes soubesse bem morrer assim.

      2) não é preciso visitar matadouros para saber o que lá se passa, neste país e fora. Não é o mesmo que viver a experiência de estar num matadouro mas se eu gostasse assim tanto dessas coisas se calhar tinha estudado para ser eng. zootécnico.

      3) a sra. assume, como já é hábito nestas conversas que as pessoas para quem está a falar são carnívoras mas tenho a impressão que está enganada.

      4) está errada, e infelizmente, ao dizer que para acabar com a tourada as pessoas tem que deixar de ser carnívoras. Apesar do absurdo da industria da carne e do leite (mas tb dos ovos) ser talvez ainda mais macabro que a tourada - só que invisíveis - não me parece que a questão da tourada tenha necessariamente a ver com isso.

      Por fim, espero que lhe reste um pouco de coerência e que, depois de ter reconhecido que os animais dos bifes são abatidos cobardemente (depois de terem uma vida miserável) tenha ao menos a dignidade de deixar de comer carne e beber leite, que, como já se sabe há muito tempo, não nos faz falta nenhuma.

      Eliminar
    2. Como e possivel comparar o incomparavel. Se as vacas e os novilhos sao tratados cruelmente nao alivia a dor do touro. Nao patuo porque nao como carne nem beb lite. Limito-me a defender uma causa civilizacional, a defesa da vida animal. Estamos no sec XXI e continuamos com praticas medievais e somos cada vez mais selvagens, sobretudo em relacao a industria da carne. Sejamos civilizados

      Eliminar
    3. Como e possivel comparar o incomparavel. Se as vacas e os novilhos sao tratados cruelmente nao alivia a dor do touro. Nao patuo porque nao como carne nem beb lite. Limito-me a defender uma causa civilizacional, a defesa da vida animal. Estamos no sec XXI e continuamos com praticas medievais e somos cada vez mais selvagens, sobretudo em relacao a industria da carne. Sejamos civilizados

      Eliminar
    4. Como e possivel comparar o incomparavel. Se as vacas e os novilhos sao tratados cruelmente nao alivia a dor do touro. Nao patuo porque nao como carne nem beb lite. Limito-me a defender uma causa civilizacional, a defesa da vida animal. Estamos no sec XXI e continuamos com praticas medievais e somos cada vez mais selvagens, sobretudo em relacao a industria da carne. Sejamos civilizados

      Eliminar
    5. Como e possivel comparar o incomparavel. Se as vacas e os novilhos sao tratados cruelmente nao alivia a dor do touro. Nao patuo porque nao como carne nem beb lite. Limito-me a defender uma causa civilizacional, a defesa da vida animal. Estamos no sec XXI e continuamos com praticas medievais e somos cada vez mais selvagens, sobretudo em relacao a industria da carne. Sejamos civilizados

      Eliminar
  3. http://www.pgdlisboa.pt/leis/lei_mostra_articulado.php?tabela=leis&nid=2213&pagina=1&ficha=1

    ResponderEliminar
  4. Eu sou contra as touradas e a carne industrializada... No entanto não podemos simplesmente deixar de comer carne ou peixe, pois conferem nutrientes importantes à nossa alimentação e isto é um facto. Agora que se poderia adoptar novas medidas para evitar o sofrimento, acredito piamente que sim, pois poderia haver espectáculo sem sangue e sem humilhação, como os forcados fazem, pois é um espectáculo de igual para igual, em que enfrentam o animal com o seu corpo e se houver sangue será do forcado e não do animal, pelo menos do pouco que conheço da tourada. Poderia haver criação de gado ao ar livre sem terem que consumir ração industrializada e entre outras coisas que só não o fazem pelo facto da ganância do dinheiro ser mais forte que a própria dignidade dos animais e até mesmo a dignidade do homem que vai por água abaixo com os maus tratos que deposita nas restantes espécies...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ... Não,não é um espectáculo de igual para igual. Quando chega a vez dos forcados já o touro está debilitado da tortura prévia. Acabem de uma vez com essa infâmia. E sim, podemos viver saudavelmente sem carne
      (peixe incluído). À engª zootécnica que posta acima: quem sabe se numa próxima reencarnação? :)

      Eliminar
    2. ... ah só agora me apercebi que é de Coruche... Compreende-se...

      Eliminar
  5. ... ou não! Mulheres apreciadoras de tortura faz-me muitíssima confusão.

    ResponderEliminar
  6. A MORTE COMO ESPECTÁCULO DE UM QUALQUER SER VIVO PARA GÁUDIO DE OUTROS SERES VIVOS, É UM ACTO PRIMITIVO E CLARAMENTE REVELADOR DE MENTES PSICOPATAS EM POTENCIA. POIS ESTES ÚLTIMOS SEGURAMENTE ESTARIAM DE ACORDO COM AS ARENAS ROMANAS E OS SEUS JOGOS, EM ESPECIAL O DOS GLADIADORES. ENQUANTO EXISTIR GENTE COM ESTE ADN, O MUNDO ESTÁ SUJO E INFECTADO.

    ResponderEliminar
  7. A RTP continua a dar a missa e as touradas. Nao sei o que ha em comum mas deve tratar-se de algo mal resolvido do tempo da outra senhora. Misturamos religiao com crueldade e desta esquizofrenia resulta que nao evoluiremos. Os media deveriam ter um papel importsnte no desgaste dessas tradicoes e elevar mais os conteudos no horario nobre.Da tourada ao circo cardinal passando pela missa aos domingos, jamais havera mudanca de mentalidades porque o povo continua a ser induzido nas mesmas praticas e habitos. Sejamos civilizados

    ResponderEliminar
  8. Não consigo aliviar a minha revolta e indignação quando sei que por todo o país, com o argumento de tradições bárbaras, se tinge de dor e de sangue as arenas onde animais inocentes tombam às mãos de algozes. Não há tradições seculares quando os valores e os princípios se alteraram e condenam estas atrocidades.Quem organiza,quem patrocina, quem transmite,à custa do dinheiro dos contribuintes, são, à luz das conceções atualmente vigentes, monstros. Não são gente,nem pessoas certamente, tal como quem asiste a estes espetáculos degradantes! (Paulo Serrão) www.facebook.com/groups/ajuntos

    ResponderEliminar